Visualizações

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Capítulo 18 - A conta, por favor!





 
A viagem segue..., depois de saborear um delicioso jantar na Riviera Francesa, de rir litros com as estórias simples contadas por um taxista mexicano ou ser recebido com um doce e meigo sorriso pela camareira de um hotel em Bangkok, nos perguntamos: Como agradecer tais gentilezas? É recomendado dar gorjeta? Quanto dar?  Os questionamentos podem parecer bobos, porém são de grande relevância, já que o ato de dar gorjeta, dependendo do lugar, poderá gerar sentimentos de grande satisfação, como também de verdadeira ofensa, e será compatível com o nível de dedicação do serviço prestado.






A título de curiosidade, alguns autores, numa visão um tanto quanto romântica, dizem que a origem da palavra GORJETA se reporta a Inglaterra do século XVII, onde a denominação TIP representava a junção das iniciais das frases to insure privacy (para garantir privacidade) e to insure proptness (para garantir prontidão), que eram usadas “quando alguém dava um shilling (moeda da época) ao cocheiro para este entregar uma carta de amor secreto ou para garantir a entrega efetiva de uma correspondência”.

Na prática, independentemente da origem, o ato de dar gorjeta se consubstancia na ideia de retribuir a gentileza e dedicação de um bom prestador de serviço - Ir muito além daquele fundamental e previsível MUITO OBRIGADO.






 
Há de se ressaltar que o prestador de serviços não se resume aquele que nos atende junto às mesas dos restaurantes. Prestador de serviços é toda e qualquer pessoa que nos serve (garçons, carregadores de bagagens, taxistas, manobristas, et al.). A propósito, também é bom saber que há algumas pessoas a quem não devemos dar gorjetas, como, por exemplo, vendedores de lojas, condutores de ônibus, proprietários de restaurantes e de salão de beleza, porteiros e recepcionistas de hotéis, lanterninhas e trabalhadores de fast food.





Outro ponto importante é que não existe uma regra básica para o ato de dar gorjeta - cada país tem uma forma diferente de tratar o assunto. Sem pretender esgotar a temática, até porque seria quase que impossível, destaco algumas informações, que, certamente, serão úteis na sua próxima viagem – os quantitativos foram estabelecidos em percentual e em dólar americano para facilitar a aplicação do conhecimento em qualquer lugar do mundo!

Restaurantes - As gorjetas podem variar até 20%. Nada - serviço ruim; 10% - serviço regular; 15% - serviço bom e 20% - serviço excelente.
Bares - no balcão: $1 por cerveja ou $2 por drinque. Nas mesas: 10 a 15% de gorjeta.
Hotéis - carregadores: $1 por mala. Camareira: $1 a $10 por noite.
Entregas - $2 a $5
Táxi - em alguns lugares, arredondar o valor da corrida para cima é a solução, além de facilitar o troco, significa dinheiro a mais. Em outros, o valor pode variar de 10% a 20% do valor da corrida – para calcular a gorjeta, peguem os primeiros dois números do valor da corrida e multipliquem por um ou dois, arredondando o resultado, ao final, se necessário: $ 24 x 2 = 48 = $4.80 = $ 5, total $29.
Aeroportos - $1 a $2 aos carregadores de bagagem.
Estacionamento e serviços automotivos em geral - $1 a $2 aos manobristas.
Navios - geralmente as gorjetas são pagas antes do início da viagem - verifiquem antes de embarcar, para não acabar dando gorjeta em dobro.
Vans - transportes de cortesia – a gorjeta ao motorista é uma opção, principalmente quando este ajuda com as malas.
Guias Turísticos - Gorjetas são sempre bem-vindas, o valor fica a critério.




Ainda a título de contribuição, destaco a postura que deve ser utilizada em alguns países no trato com as gorjetas: 

Praga - deixadas diretamente na mesa.
Alemanha - entregues pessoalmente ao garçom.
Japão e China - dar gorjeta pode ser muito ofensivo em alguns lugares – observe a conduta dos demais clientes!
Croácia e Grécia - apreciadas, mas não é uma regra - normalmente, os trabalhadores não esperam recebê-las.
África do Sul - quase que obrigatórias, não importando a quantidade de dinheiro extra. 
Egito - muito apreciadas, principalmente quando dadas em dólar.
Peru - não é comum dar gorjeta, exceto em restaurantes mais sofisticados.




Espero que essas informações sejam úteis e bem empregadas, afinal tudo deve conspirar para que a viagem seja a melhor possível! Até breve!

Nenhum comentário:

Postar um comentário