Visualizações

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Capítulo 5 - Amapá de imensos tesouros



Hoje, realizarei uma viagem pelas minhas memórias, não darei dicas de hotéis de luxo, bares ou restaurantes renomados, falarei apenas e tão somente do local onde nasci. Um lugar que possui um povo destemido, de leal coração altaneiro e que faz parte deste rincão brasileiro: a cidade de Amapá. Simples e pequena, porém envolta em imensos tesouros e grandes belezas naturais.




A poucos quilômetros de Macapá (aproximadamente 302 km), a cidade de Amapá, que leva o mesmo nome do Estado e que outrora já ostentou o título de capital do ex-Terrítório Federal do Amapá, tem sua história viva ligada aos litígios com a França e em Cabralzinho seu maior herói.


Por todos os lugares da cidade, apesar das correrias e contratempos da vida moderna, ainda é possível encontrar pessoas pacatas, felizes e hospitaleiras que através de simples gestos são capazes de cumprimentar a todos que passam com um lindo sorriso e um ar de satisfação, orgulho e dignidade.




 
 

Aqueles que visitam a cidade não têm como deixar de perceber o belo despertar da madrugada que se transforma em um verdadeiro palco - a iluminar-se para a vida e para o dia que surge, com a graça musical das passaradas e do cantar dos galos nos terreiros.



Ainda pela manhã, é possível encontrar pessoas que, mantendo a tradição, saem pedalando em suas bicicletas, de porta em porta, vendendo leite de gado, queijo e pão.




 

Ao cair da tarde, não é raro encontrar os jovens amapaenses jogando futebol nos campos, nas praças e no Estádio Júlio Vieira, bem como, tomando uma deliciosa e gelada cervinha em algum boteco - afinal ninguém é de ferro! A propósito, o Amapá tem dois times tradicionais, o Fronteira e o Vera Cruz, que também dão nome a dois grandes clubes da cidade e que servem de palco para as animadas tertúlias (festas) de fim de semana. 

Ao longo de toda cidade encontramos belas paisagens, sublimes e coloridas, onde o verde dos campos e das fazendas contrasta com o céu azul que envolve o horizonte. Na frente da cidade ainda é possível observar a pororoca que ocorre no Rio Amapá (agora em pequenas proporções já que o rio passa por um processo de assoreamento). Por falar em rio, o Amapá é rico em pescados e, uma vez na cidade, como não provar da gurijuba, do tucunaré, do bagre, do mero, da pirapema e do pirarucu? Humm... Sem esquecer, é claro, dos famosos caranguejos da região do Sucuriju.





Dentre as atrações culturais do Amapá, destacam-se: a Festa do Divino Espírito Santo (padroeiro da cidade – mês de maio); a Agropesc-feira agropecuária (no Parque João Ponpilho – com programações de artistas, rodeios e show de Miss`s) e o Festival da Gurijuba. Como atrações turísticas: a Base Aérea do Amapá - constitui um verdadeiro museu a céu aberto do período da 2ª Guerra Mundial – lá é possível encontrar a torre de atracação de zepelins, sucatas de veículos dos anos 40 e paiol de munição. Temos, também, excelentes opções de banho e de lazer como: a Cachoeira Grande (lugar com águas cristalinas, constituído por corredeiras sobre formações rochosas), que, mesmo pertencendo ao município de Calçoene, é um dos pontos de referência de Amapá e que serve como um dos cenários do Amapá Verão; e os Balneários do rio Calafate (na divisa dos municípios de Amapá e Calçoene), do “Los Pimpa” (na Rasa), do Davizinho e do Raiz.







Ficaram com vontade? Que tal marcarem um fim de semana nesse agradável lugar. Correr descalços nos campos; tomar banho de chuva ou de rio; beber uma deliciosa coalhada ou deleitar-se em uma maravilhosa receita caseira de peixe, são coisas que não têm preço! 




  
Boas recordações me fazem pensar que saudades que tenho, da aurora da minha vida, da minha infância querida que os anos não trazem mais. Que amor, que sonhos, que flores, naquelas tardes fagueiras, a sombra das bananeiras, debaixo dos laranjais. Até a próxima!

Um comentário:

  1. Adorei. Meu pai, Walmor Tavares, foi professor no Amapa, no Tucunare' onde nasci. E um lugar que nao conhec,o, mas e' meu desejo profundo visitar. Lindo esse blog seu. Vou partilhar. (Petronila Tavares)

    ResponderExcluir