Visualizações

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Capítulo 4 - Praga, só no nome...







Esta semana, revendo o filme “A Insustentável Leveza do Ser”lembrei de uma das cidades mais fascinantes que conheci: Praga. Capital da República Tcheca, Praga é chamada por muitos como a Pérola do Oriente, e apesar de sua longevidade, com traços e ares antigos, revela-se como uma cidade contemporânea que respira jovialidade e sensualidade, que se recusa terminantemente a envelhecer.







Praha possui uma população de aproximadamente 1.200.000 habitantes, distribuída pelos seus 10 distritos (bairros), que para nós, brasileiros, são quase que impronunciáveis como: Staré Město, Hradčany, Malá Strana, Vyšehrad, Žižkov. Apesar de sua extensão, é uma das cidades do mundo que se deve conhecer com calma e a pé, porém, para aqueles que não gostam de se lançar diretamente nas ruas, cujos nomes são extremamente confusos, uma boa opção é usar o fácil e eficaz sistema de transporte urbano, metrô e ônibus – Tenham cuidado apenas com os táxis! (Combinem sempre o preço antes de sair. Os motoristas são bem espertos. Evitem táxis clandestinos).    











Muito embora seja conhecida também como a Paris do Leste Europeu, Praga mostra-se, ao contrário da cidade francesa, como um lugar envolto em pouca luz e muitas sombras. Circunstâncias estas que lhe dão uma atmosfera misteriosa. As razões e os caminhos que levam à Praga são muitos, mas, sinceramente, acredito que apenas 05 são suficientes para nos fazer apaixonar-se por ela:





1) Festivais de Música da Primavera – Famosos em todo o mundo! São apresentações de músicas clássicas de Mozart, Bach, Beethoven e outros renomados, nos teatros, nas igrejas, nas ruas e nos monumentos. Valem à pena e chegam a emocionar!











2) Castelo de Praga – Fundado no século IX pelo príncipe Borivoj, é considerado como uma das construções mais importantes de Praga. Formado por um complexo de prédios que inclui, entre muralhas e ruelas medievais, a Catedral de São Vito, o Palácio Lobkowicz, o Palácio Real, o Convento de São Jorge e Torre Dalibor.













3) Noites de Praga – Simplesmente imperdíveis! Praga é “o templo das casas noturnas”. A noite é super agitada e divertida! Por todos os lados da cidade (ruas, cervejarias, danceterias e pubs) encontramos muitos jovens circulando e agitando. Ficaram com vontade? É só conferirem! Não deixem de conhecer: Mecca (como dizem os jovens: TDB – tudo de bom! Um pedaço de Ibiza em plena capital Tcheca, muito estilo e glamour, além da presença de celebridades e DJ´s internacionais,); Agharta Jazz Centrum (um dos mais famosos da city, boa comida e bons shows); Alcohol Bar (mais de 400 opções de coquetéis); Face-to-face (opção barata de diversão! As festas incluem no preço do ingresso toda a bebida consumida); Cross Club (música eletrônica); Le Clan (mais famoso after, abre às 03 da madrugada e fecha às 12 horas – Pura energia e uma prova de fogo para quem gosta de um bom agito!); Double Trouble (lugar de aspecto rústico, onde as pessoas se esbaldam e dançam, literalmente, onde quiser).





4) Teatro de Luz Negra – Belos espetáculos que misturam em um único momento efeitos especiais, dança, música e pantomimas. Os atores se apresentam ao público na completa escuridão, usando roupas coloridas e acessórios fluorescentes.










5) Praça da cidade velha – É o coração de Praga. Conduz durante uma simples caminhada a uma verdadeira viagem no tempo e carrega em seu ambiente a lembrança viva de vários acontecimentos históricos que marcaram a cidade, como o assassinato de Venceslau (929) e a coroação de Carlos IV (1346). Constitui um local singular, cercado de ruelas e becos e repleto de cafés e restaurantes. A partir da Praça é possível conhecer: a Prefeitura de Praga (fundada em 1338); o Relógio Astronômico; o Templo de Nossa Senhora de Týn; a Igreja de São Nicolau, o Palácio Kinský.


Relógio Astronômico:




Palácio Kinský e Templo de Nossa Senhora de Týn



Apesar de não constar do rol acima, outro motivo para visitar Praga é sua comida. Sem exageros, a culinária tcheca é deliciosa e agrada ao paladar de todos. Boas opções de restaurantes são encontradas em toda cidade. Aproveitem para conhecer o Bellevue (instalado em um prédio em forma de castelo com uma vista maravilhosa para o rio Vltava, para o Castelo de Praga e Ponte Carlos - é considerado como o principal restaurante da capital. A propósito, enquanto estiverem no restaurante, aproveitem para assistir o fim de tarde, é lindo! o céu multicolorido é de tirar o fôlego!); 7 Angels (situado num edifício histórico do século 13, sua cozinha mistura a comida checa tradicional e pratos internacionais, incluindo caça, pato, peixe e porco assado);  Modrá Růže - Rosa Azul (fica em um subterrâneo que era utilizado como calabouço) e o Buddha-Bar (bela decoração e saborosa comida, além de ter o melhor crème brûlée que já comi!).


Restaurante Belluvue:





Restaurante 7 Angels:
 




Modrá Růže - Rosa Azul


Buddha-Bar

























Finalizando, em certa ocasião li um texto em que Franz Kafka dizia que “Praga não deixa a gente ir embora, esta velha tem garras". Naquela oportunidade, confesso que não entendi o que ele queria dizer, mas hoje concordo com Kafka, no sentido de que esta “velha e sensual Senhora”, verdadeiramente, sempre consegue seduzir aos que têm a sorte de conhecê-la. Por isso, como dizem os alemães: Einmal ist Keinmal, einmal ist nie - uma vez é nada, uma vez é nunca. É preciso voltar e voltar sempre, para que possamos aproveitar todos os cantos e recantos dessa maravilhosa e agradável cidade. Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário